Augusto Castro sanciona leis que instituem plano de cargos em Itabuna | A TARDE
Atarde > portal municípios > Sul Baiano

Augusto Castro sanciona leis que instituem plano de cargos em Itabuna

Medida é tratada pela gestão municipal como "indicativo claro de valorização do trabalho dos servidores"

Publicado quinta-feira, 08 de fevereiro de 2024 às 19:47 h | Autor: Da Redação
Itabuna, até então, estava entre as poucas cidades do Brasil com regime jurídico estatutário, porém sem um Plano de Cargos estabelecido
Itabuna, até então, estava entre as poucas cidades do Brasil com regime jurídico estatutário, porém sem um Plano de Cargos estabelecido -

O prefeito Augusto Castro (PSD) sancionou no município de Itabuna leis que instituem Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) de servidores. A medida é tratada pela gestão municipal como um "indicativo claro de uma sociedade que valoriza e reconhece a importância do trabalho dos servidores municipais".

Segundo a prefeitura, a implementação dos PCCS não apenas representa um avanço burocrático, mas também marca um momento significativo na construção de uma relação mais justa e equilibrada entre o poder público e seus servidores.

"A sensibilidade política demonstrada ao sancionar os PCCS não pode ser subestimada. Esse gesto não só fortalece os laços entre o governo e os servidores, mas também demonstra um compromisso genuíno com a valorização do funcionalismo público como um todo", diz o prefeito Augusto Castro em nota.  

Durante o ato, a presidenta do Sindserv e vereadora, Wilmaci Oliveira, agradeceu aos envolvidos na conquista. Em seu discurso, ela ressaltou a sensibilidade do prefeito Augusto Castro em compreender não apenas a necessidade de salários em dia, mas também a importância de proporcionar perspectivas de crescimento na carreira e segurança jurídica aos servidores.

Itabuna, até então, estava entre as poucas cidades do Brasil com regime jurídico estatutário, porém sem um Plano de Cargos estabelecido. A luta pela implementação desses planos foi árdua, envolvendo não apenas o Sindserv e seus dirigentes, mas também a participação ativa da categoria e a celeridade da Câmara Municipal na votação dos projetos relacionados ao funcionalismo público.

Publicações relacionadas