Rede pública de trabalho social no Recôncavo debate trabalho escravo

Objetivo é integrar atividades desenvolvidas por psicólogos, assistentes sociais dos Creas e Cras

Publicado quinta-feira, 24 de novembro de 2022 às 11:29 h | Atualizado em 24/11/2022, 12:20 | Autor: Da Redação
Evento discutiu combate ao tráfico de pessoas e trabalho escravo
Evento discutiu combate ao tráfico de pessoas e trabalho escravo -

O Líder Clube Bomfim, no município de Castro Alves, Recôncavo baiano, recebeu na última terça-feira, 22, agentes que atuam no Sistema Único de Assistência Social (Suas) para debater trabalho escravo, tráfico de pessoas, entre outros assuntos.

O objetivo é integrar ainda mais o trabalho desenvolvido no dia a dia por psicólogos, assistentes sociais e demais profissionais dos chamados Creas e Cras de diversos municípios.

Nesse seminário, organizado em parceria para Suas pelo Ministério Público do Trabalho, Defensoria Pública da União e governo do estado, por meio da Secretaria da Justiça, Cidadania, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJCDHDS). Participaram agentes públicos de quase 40 município do Recôncavo e Vale do Jiquiriçá e imediações.

“A eficiência de uma política pública depende em grande medida da integração das ações de diversos órgãos em rede em busca de objetivos comuns a toda a sociedade. Por isso trazer os agentes públicos do Suas para o combate ao tráfico de pessoas e ao trabalho escravo é tão importante”, destacou o procurador do MPT Ilan Fonseca.

O evento contou com a presença do prefeito de Castro Alves, Thiancle Araújo, na abertura. Além dele, participaram do seminário Márcia Santos, coordenadora de proteção especial, e Admar Júnior, assessor da SJCDHDS.

Fizeram parte da programação, palestras de Ricardo Fonseca, que falou de orientações sobre Previdência Social, com foco em aposentadoria rural, tirando dúvidas. O coordenador do Centro dos Direitos LGBT da Bahia, Renildo Barbosa, que abordou a diversidade e a inclusão para todas as faixas de gênero também participou do evento.

Esse é o primeiro de uma série de eventos do projeto Acolhe Gente, voltado à capacitação da rede Suas para atendimento de situações de tráfico de pessoas e trabalho escravo, fazendo do agente um tentáculo do Estado para identificar as situações e acionar a rede de proteção.

Publicações relacionadas