Investigadores não encontram irregularidades em urna eletrônica

Polícia Federal validou proteção da urna contra falhas em tentativa de burlar o mecanismo

Publicado sexta-feira, 13 de maio de 2022 às 18:43 h | Atualizado em 13/05/2022, 19:03 | Autor: Da Redação
TSE finalizou nesta sexta-feira, 13, os testes sobre a segurança da urna eletrônica
TSE finalizou nesta sexta-feira, 13, os testes sobre a segurança da urna eletrônica -

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concluiu, nesta sexta-feira, 13, a última rodada de testes públicos de segurança nas urnas eletrônicas que serão usadas nas eleições de outubro.

Segundo a Corte, os investigadores não conseguiram alterar nenhum voto, mudar o resultado da urna ou fraudar o processo eleitoral.

Os “testes de confirmação”, estavam sendo realizados desde a quarta-feira, 11. Nessa etapa, os investigadores que encontraram falhas no primeiro exame, em novembro de 2021, voltaram ao tribunal para verificar se as vulnerabilidades apontadas tinham sido resolvidas.

Em novembro, um dos pontos a ser ajustado foi encontrado pela Polícia Federal. Nesta semana, a corporação fez novo teste e validou a solução do TSE.

“O controle de acesso foi feito, foi tentado de novo, ocorreu uma nova expulsão e não conseguiu novamente”, disse o juiz auxiliar do TSE, Sandro Nunes.

Segundo o Nunes, nenhum dos planos de testes alcançou as camadas de segurança de sigilo de voto e mexer na totalização dos votos. Para o juiz, o ambiente é colaborativo e a Corte não se sentiu atacada.

Representante das Forças Armadas na Comissão de Transparência das Eleições, o general Heber Portella visitou nesta sexta a sala onde foram realizados os testes. O general, indicado pelo ex-ministro da Defesa Braga Netto para capitanear as sugestões dos militares ao TSE, conversou diretamente com os investigadores da Polícia Federal.

Os sistemas ainda serão testados até serem lacrados um mês antes das eleições.

Publicações relacionadas