Em Salvador, Fachin diz que ataque às eleições é ataque à democracia

Declaração ocorreu durante evento realizado pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia

Publicado sexta-feira, 05 de agosto de 2022 às 15:56 h | Atualizado em 05/08/2022, 16:02 | Autor: Da Redaçao
Para Fachin, a democracia é inegociável e o negacionismo eleitoral é a vanguarda do atraso
Para Fachin, a democracia é inegociável e o negacionismo eleitoral é a vanguarda do atraso -

"O  sistema eleitoral é seguro e transparente. Atacar esse sistema é atacar a democracia". A declaração do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Edson Fachin, foi dada nesta sexta-feira, 5, durante o "Seminário Eleições Gerais 2022, Democracia e Transparência", na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

Fachin falou sobre a disseminação de notícias falsas em relação às urnas eletrônicas e afirmou que a Justiça Eleitoral e o sistema de votação formam um patrimônio imaterial valioso e que ataques direcionados ao sistema eleitoral são um “triste resquício colonial.”

O ministro reiterou que as eleições vão acontecer e que todos os eleitos serão diplomados. Para ele, o menosprezo ao avanço civilizatório só pode ser compreendido como um projeto de matriz negacionista. De acordo com o ministro, o espanto com a engenhosidade e competência da Justiça é um triste resquício colonial.

"(É) uma ressonância de atraso, vocalizada por aqueles que não enxergam em nosso país a capacidade de propor as melhores soluções para os próprios problemas. A democracia é inegável. O negacionismo eleitoral é a vanguarda do atraso", complementou.

Ainda durante a palestra, o ministro citou os protestos realizados pela população a favor da Justiça Eleitoral. "Percebemos nitidamente que nós, Justiça Eleitoral, não somos apenas a Justiça Eleitoral dentro dos edifícios que habitamos, basta ver as manifestações recentes dos brasileiros que não toleram o negacionismo".

Segundo o ministro, existe um bloco de 28 Tribunais que se movem organicamente para disseminar informações de qualidade e ações positivas. “Chega de retóricas de ataques, temos uma agenda positiva, temos um calendário eleitoral que temos a cumprir. Quem responde ao ódio com o ódio pelo ódio tomado já está, já escreveu alguém”, disse.

Publicações relacionadas