Kléber Rosa e João Roma despistam, mas devem pressionar Neto

Candidato do PSOL diz que ex-prefeito deve explicar ausências anteriores. Ex-ministro condena voto útil

Publicado terça-feira, 27 de setembro de 2022 às 22:06 h | Atualizado em 27/09/2022, 22:18 | Autor: João Guerra
Kleber Rosa (PSOL), à direita, diz que ACM Neto deve explicações sobre suas propostas
Kleber Rosa (PSOL), à direita, diz que ACM Neto deve explicações sobre suas propostas -

Dois dos candidatos ao governo estadual já chegaram aos estúdios da TV Bahia: Kleber Rosa (PSOL) e João Roma (PL). Os dois tentaram tangenciar se devem concentrar no embate com o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (União Brasil), que não compareceu nos debates anteriores, mas disseram que ele tem muito a dizer aos eleitores sobre suas propostas de campanha. 

"Esse debate tem uma natureza diferente dos outros por dois motivos principais. Primeiro que ele é o último debate às vésperas da eleição. Segundo que ele é um debate com a presença de um dos concorrentes que ocupa espaço significativo na disputa, que foi aguardado para o debate e que deve muitas explicações sobre aquilo que está propondo e sobre o que, de fato, representa a partir da sua experiência concreta. Então eu não tenho dúvida que isso vai marcar o debate", disse Kleber Rosa.

Rosa disse que não deve focar seus questionamentos só em Neto, "mas é natural que a presença dele traga as demandas acumuladas que não foram questionadas em momentos anteriores. Essa é a minha expectativa", avaliou o candidato.

Já Roma, inicialmente disse que não vai mirar os questionamentos em ACM Neto, que só vai apresentar suas propostas, mas quando foi perguntado sobre as manifestações de aliados do ex-prefeito para que os eleitores usem o "voto útil" para eleger Neto, tirando votos dos seus potenciais eleitores e assim derrotar Jerônimo Rodrigues (PT), Roma subiu o tom. 

"O afroconveniente ACM Neto não sabe nem a cor da pele, quanto mais o que quer para o futuro da Bahia. O que fica muito claro é que ele está cada vez mais arraigado em buscar uma estrutura de poder pessoal e isso está deixando ele ficar para trás. Ele está derretendo. Ele começou com 68 pontos, tá com menos de 30 pontos e nessa reta final vai mostrar justamente que eu estarei no segundo turno", disparou.

Publicações relacionadas