Debate promete esquentar com temas de favorecimento político

A confirmação do ex-prefeito ACM Neto no debate tem elevado a apreensão de sua assessoria

Publicado terça-feira, 27 de setembro de 2022 às 19:17 h | Autor: Da Redação
Até o momento, ACM Neto não participou de enhum debate dos candidatos ao governo do estado
Até o momento, ACM Neto não participou de enhum debate dos candidatos ao governo do estado -

A TV Bahia, afiliada da Rede Globo no estado, realiza na noite desta terça-feira, 27, o debate entre os candidatos a governador que irão concorrer nas eleições de 02 de outubro.

Vão se enfrentar, cara a cara, o postulante ao Palácio de Ondina pelo PT, Jerônimo Rodrigues, apoiado pelo ex-presidente Lula, o ex-ministro da Cidadania e atual deputado federal João Roma, filiado ao PL, do presidente Jair Bolsonaro, o professor Kleber Rosa, do PSOL, além do ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, que resolveu de última hora marcar presença no evento.

 A confirmação do ex-prefeito no debate - ele havia decidido não participar de rodadas anteriores - tem elevado a apreensão de sua assessoria, que considera a possibilidade de Neto ser alvejado e emparedado pelos três outros participantes.

Jerônimo Rodrigues participou de algumas atividades políticas nesta terça-feira e teve reuniões com sua equipe para definir a linha de atuação no confronto. João Roma, segundo sua assessoria, esteve nas cidades de Petrolina e Juazeiro para participar de evento político com a presença do presidente Bolsonaro.

 “João Roma se sente preparadíssimo para o debate, tanto que nem parou um minuto suas atividades políticas para pensar num roteiro. Ele tem suas propostas para a Bahia na ponta da língua e está pronto para mostrar que é o melhor nome para ser governador”, afirmou um membro de sua equipe, ouvida por A TARDE.

O candidato ACM Neto, que recentemente se envolveu em uma polêmica que tomou proporção nacional, não respondeu a tentativa de contato feita por A TARDE, mas fontes revelaram que ele esteve durante todo o dia em reunião com seu marqueteiro Alexandre Augusto Teixeira Gonçalves, discutindo estratégias para conseguir recuperar os danos sofridos na reta final de sua campanha.

Alexandre Augusto, ex-Propeg, foialvo de matérias jornalísticas do site O Bastidor e também de A TARDE, que revelaram uma rede de relacionamento com o candidato ACM Neto e com a prefeitura de Salvador e outros personagens do meio de comunicação

Temas espinhosos

O debate realizado na noite desta terça  pela TV Bahia, segundo informações de bastidores, dependerá dos ânimos de cada candidato. Além do polêmico assuntoenvolvendo a autodeclaração racial feita por ACM Neto, que se declarou branco e depois pardo ingredientes mais apimentados podem ser utilizados.

Neto tem sido alvo de sucessivas reportagens jornalísticas que o acusam de favorecimento a construtoras pertencentes aos seus amigos Lucas Cardoso e Bernardo Cardoso Araújo. A BSM, de propriedade da dupla de amigos íntimos de Neto, abocanhou e vem abocanhando contratos que somam mais de R$ 250 milhões  na prefeitura de Salvador.

Outras polêmicas surgidas recentemente e que podem ser exploradas no debate, dizem respeito a um rumoroso contrato aditivado ainda na gestão de ACM Neto, em janeiro de 2020, com a Eco Irrigação e Jardim, no valor de R$ 999.879,99 para “irrigação de áreas verdes” da capital baiana, por 12 meses.

Personagens com trânsito na política municipal afirmam que a empresa pertence a Felipe Cerqueira, um cidadão até então desconhecido dos bastidores, mas que teria relações muito próximas com familiares do ex-prefeito.

Segundo confidenciou um vereador que faz ferrenha oposição ao governo atual, mas que pediu reserva da fonte para evitar retaliação, “Felipe Cerqueira, conforme chegou informações para a gente, costumava realizar saques mensais e pontuais de R$ 200 mil reais, não se sabendo o que ele fazia com essa dinheirama toda”.

A reportagem tentou contato com a Eco Irrigação e Jardim e com o empresário Felipe Cerqueira, para que confirmassem ou não a existência desses saques e pudessem esclarecer a destinação dos montantes, mas não obteve êxito. Ciente da responsabilidade com o contraditório e com o bom jornalismo, A TARDE segue à disposição para manifestação dos personagens citados.

O que diz a lei sobre saques em espécie

Segundo a Circular 3.978 de 2020, editada pelo Banco Central, os órgãos de controle passaram a ser mais rígidos com quem saca dinheiro a partir de R$ 50 mil. Desde a edição dessa norma federal, toda instituição financeira terá que ser comunicada sobre a intenção de saque desse valor com, pelo menos, três dias úteis de antecedência e, além disso, o banco terá que questionar a origem dos recursos, quem será o beneficiário final e também o motivo da operação ser realizada em espécie em vez de transferência bancária.

O Conselho de Atividades Financeiras (Coaf) terá que ser comunicado, recebendo  a relação completa de clientes que sacaram acima de R$ 50 mil em um determinado mês, seja o saque único ou em forma fracionada. A comunicação terá que ser feita independente do cliente e de indícios de crimes financeiros.

Publicações relacionadas