Moraes: 'Justiça tem coragem para combater ataques a democracia'

Ministro do STF assumirá a presidência do Tribunal Superior Eleitoral em agosto

Publicado quinta-feira, 19 de maio de 2022 às 14:51 h | Atualizado em 19/05/2022, 14:58 | Autor: Da Redação
Alexandre de Moraes diz que a Justiça Eleitoral tem “coragem para lutar” contra aqueles que não acreditam na democracia
Alexandre de Moraes diz que a Justiça Eleitoral tem “coragem para lutar” contra aqueles que não acreditam na democracia -

O ministro Alexandre de Moraes mandou um duro recado  a quem tenta desestabilizar o processo eleitoral brasileiro nesta quinta-feira, 19,  ao afirmar que Justiça Eleitoral brasileira tem “coragem para lutar” contra aqueles que não acreditam na democracia. 

Vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Moraes  assumirá a presidência do órgão em agosto e estará à frente dos trabalhos durante as eleições de outubro.

“[A Justiça Eleitoral] nasceu com muita vontade de lutar pela democracia e com muita coragem de lutar contra um sistema que, à época, era um sistema que tentava capturar a vontade soberana do povo, desvirtuando os votos que eram colocados nas urnas”, afirmou ele, em discurso durante sessão solene de celebração pelos 90 anos da Justiça Eleitoral.

“Esse foi o surgimento da Justiça Eleitoral: com vontade de concretizar a democracia e coragem para lutar contra aqueles que não acreditam no Estado democrático de direito. Esta mesma vontade democrática e essa coragem republicana nós temos hoje na Justiça Eleitoral brasileira”, acrescentou o magistrado.

O discurso ocorre em meio aos ataques que a Justiça Eleitoral sofre do presidente Jair Bolsonaro e de seus apoiadores. 

Alexandre de Moraes fez referências ainda aos ataques às urnas eletrônicas. “Somos uma das maiorias democracias do mundo. Em termos de comparecimento, uma vez que o voto no Brasil é obrigatório, estamos entre as três maiores do mundo. E a única democracia do mundo que apura os resultados no mesmo dia. Seja nos mais de 5 mil municípios nas eleições municipais, seja nas eleições nacionais.

Também participaram da solenidade o presidente do TSE, Edson Fachin, e os ministros Ricardo Lewandowski, Mauro Campbell Marques (corregedor-geral da Justiça Eleitoral), Benedito Gonçalves, Sérgio Banhos, Carlos Horbach, o vice-procurador geral eleitoral, Paulo Gonet Branco, e o diretor-geral do Tribunal, Rui Moreira.

Publicações relacionadas