Geraldo Jr rebate críticas de Bruno: "Câmara não é puxadinho"

Pré-candidato a vice-governador esteve em SP para o lançamento da chapa de Lula à Presidência

Publicado sábado, 07 de maio de 2022 às 19:35 h | Atualizado em 07/05/2022, 19:35 | Autor: Da Redação
Geraldo Jr afirmou que Bruno precisa se preocupar com as críticas à gestão municipal
Geraldo Jr afirmou que Bruno precisa se preocupar com as críticas à gestão municipal -

O pré-candidato a vice-governador da Bahia, Geraldo Júnior (MDB) rebateu as críticas do prefeito de Salvador, Bruno Reis (União Brasil), sobre a condução da Câmara Municipal da capital baiana, onde o emedebista é o presidente.

"Eu já estou acostumado às ingratidões da vida, acaba que a gente cria uma espécie de couraça que nos blinda desses ataques", disse Geraldo, que esteve em São Paulo, neste sábado, 7, acompanhando o lançamento da chapa de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência da República.

"Antigamente, quando aprovamos projetos por acordo, a exemplo da emenda da previdência, todos os projetos de auxílio na pandemia e tantos outros, reduzindo e dispensando os prazos regimentais, contando sempre com a compreensão da oposição, aí a condução era a melhor", proseguiu.

Para o edil, nenhuma fala de Bruno Reis o preocupa e aproveitou para alfinetar o ex-aliado.

“O prefeito Bruno Reis talvez não tenha acordado e percebido que o futuro da cidade passa pela Câmara, que não é quintal nem tampouco puxadinho do Executivo. Bruno deveria era olhar para o cidadão e cuidar das críticas que são dirigidas à vários membros de sua gestão. Muito abacaxi para resolver", disparou.

"Soube que ele andou dizendo que nenhum secretário dele irá comparecer à Câmara para prestar esclarecimentos. Postura anti-democrática dele achar que tudo tem que ser da forma que ele quer. Parlamento e Executivo são poderes independentes, mas podem conversar, como sempre o fizemos", acrescenta.

Coronelismo

Por último, o emedebista fez uma provocação ao prefeito da capital baiana, indicando que Bruno, em pouco tempo, aprendeu o "dom do coronelismo".

"Não é essa a postura que nossa capital espera! Se imiscuir no Parlamento. Fica tentando intimidar vereador e acha que tem 2/3 da Casa. Um devaneio. Um sonho", provocou. 

"O seu modo de tratar os vereadores, herdados lá de trás, está ultrapassado, o chicote e as ameaças não mais funcionam. A câmara nunca irá faltar com a cidade, mas não se curvará aos caprichos de alguns, quero e exijo respeito", concluiu Geraldo Jr.

Publicações relacionadas