Com Jornalismo e ditadura não rola casamento. Bolsonaro sabe

Vera Magalhães, da TV Cultura, a que foi agredida por Bolsonaro no debate da Band, apenas fez jornalismo

Publicado quarta-feira, 31 de agosto de 2022 às 00:30 h | Autor: Levi Vasconcelos
Condessa Pereira Carneiro, a quem Costa e Silva pediu elogio
Condessa Pereira Carneiro, a quem Costa e Silva pediu elogio -

Essa vai para os bolsonaristas que chamam nós, jornalistas, de militantes da esquerda.

Maurina Dumshe Abranches Pereira Carneiro, conhecida como Condessa Pereira Carneiro, marcou época na imprensa brasileira. De 1953 até quando morreu em 1983, foi presidente do Jornal do Brasil, um tempo, ressalte-se, em que a mídia impressa vivia o seu apogeu. 

E lá um dia o general Costa e Silva, 27º Presidente do Brasil e o segundo da ditadura militar (morreria no mandato, em 69, de derrame cerebral),  chamou-a para conversar. Papo ameno, na despedida ela falou:

— Tudo bem, presidente. Vamos vivendo, eventualmente uma crítica construtiva...

Contam que Costa e Silva cortou a conversa com um murro na mesa. E o grito:

— Crítica construtiva uma zorra, Condessa! Lhe chamei porque eu quero é elogio!

No dna —Ora, Costa e Silva inaugurou o tempo mais duro da ditadura. Baixou o AI-5, cassou e caçou adversários, podia expressar o que um ditador gostaria sem delongas. A questão: Bolsonaro não é ditador porque não pode, mas é vocacionado.

Os núcleos acadêmicos nos ensinam que a cartilha do bom jornalismo dita que o foco número um é o interesse público, acima de qualquer outro. Por aí, brota a doutrina: jornalismo e ditadura não acasalam por absoluta falta de comunhão de propósitos. Um quer liberdade, o outro quer elogio. 

Por aí, a Vera Magalhães, da TV Cultura, a que foi agredida por Bolsonaro no debate da Band, apenas fez jornalismo. E por isso, merece o nosso respeito como colega e a nossa solidariedade pela agressão.

Ex-presidiário de Bolsonaro

Bolsonaro, que sucessivamente chamou Lula de ex-presidiário no debate da Band, ganhou o apoio de Eduardo Cunha (PTB), o presidente da Câmara que pilotou o impeachment de Dilma e acabou preso acusado de ter recebido propina pela Lava Jato.

O fato ganhou as redes: Bolsonaro tem mais um ex-presidiário amigo. Detalhe: ele foi deputado pelo Rio e agora, beneficiado por uma liminar, se candidata por São Paulo.

TVE faz o novo debate

A TV Educativa, que é estatal, realiza terça da semana que vem, véspera do 7 de setembro, o próximo debate entre os candidatos ao governo baiano.

Até agora confirmaram presenças Jerônimo Rodrigues (PT), João Roma (PL), os mesmos que participaram da Band. ACM Neto ainda não se pronunciou.

O debate será transmitido pelo Face, Instagram, Twitter, Youtube e quem quiser.

Comtas, 45 anos de voos

A Comtas, ou Cooperativa dos Taxistas do Aeroporto de Salvador, festejou ontem os seus 45 anos com o slogan De muito trabalho dedicação e amor. 

Mas embora Reginaldo Cohim, associado e relações públicas da entidade diga que a história ‘é excepcional’ pela qualidade dos serviços, faz uma ressalva: 

— Nós só temos um calo, que parece crônico. É a clandestinidade no aeroporto.

Resultado do vestibular da Uneb gera desconfiança

Alunos que concorreram no vestibular da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), realizado dia 31 e 1º deste, estão reclamando de algo errado na proclamação dos resultados.  

João Pedro Santos Pereira, que disputou o vestibular para medicina, se disse encucado com o fato de ter tido um índice de acerto de 83% e tirou 9,75 na redação, mas mesmo assim ficou na 4012 posição, enquanto outros com notas bem mais baixas aparecem na frente.

— Eu procurei a Uneb atrás de uma explicação, mas lá me disseram que não havia atendimento presencial, só online.

O resultado foi divulgado na noite de anteontem, mas ontem foi retirado do ar.

Publicações relacionadas