A 10 dias das eleições, Jerônimo sobe, Neto cai e Roma estagna

Semana que entra ironicamente coloca Jerônimo e Roma com anseios similares na peleja baiana

Publicado quinta-feira, 22 de setembro de 2022 às 05:45 h | Autor: Levi Vasconcelos
Desde a primeira pesquisa, em agosto, Jerônimo saltou de 16 para 31 pontos
Desde a primeira pesquisa, em agosto, Jerônimo saltou de 16 para 31 pontos -

Estamos a 11 dias das eleições, dos quais nove são de campanha. As pesquisas apontam Jerônimo crescendo, ACM Neto caindo e João Roma estagnado. Veja as pesquisas Datafolha/Metrópole, por exemplo. Na primeira, em agosto, Neto 54, Jerônimo 16, João Roma 8. Na da semana passada, respectivamente 49, 28 e 8. E na de ontem 48, 31 e 8. 

Até lá, o cenário pode mudar. Claro que sim. Na reta de chegada do embate de 2022 Lula está guinchando Jerônimo que ironicamente torce para Bolsonaro guinchar João Roma porque tira voto de ACM Neto, que por sua vez tenta se sobrepor à influência da peleja federal na disputa estadual.

E também é claro que o lado federal influencia o estadual. O xis da questão é saber até que ponto isso vai chegar. É nas urnas que isso será aferido com precisão.

Segundo turno —A semana que entra ironicamente coloca Jerônimo e Roma, os dois antagônicos da polarização federal com anseios similares na peleja baiana, ambos achando de bom grado se houver segundo turno.

Elementar. Para Neto o melhor dos mundos seria uma vitória no primeiro turno. Se houver segundo turno na Bahia, Lula lá, vencendo no primeiro turno ou indo ao segundo com Bolsonaro, fatalmente beneficiaria Jerônimo cá, deixando Neto ou sozinho, como sempre caminhou, mas em nítida desvantagem justo por isso.

Esse cenário é o que as pesquisas estão delineando para a Bahia. Vai rolar? Do próximo domingo a oito dias saberemos. Urna é o que afere pesquisa eleitoral.

Da forma como aprovados, os precatórios vão ratear RS 1,8 bi

O quinhão baiano dos precatórios gerados pela defasagem nos repasses do Fundeb entre 1997 e 2006 é da ordem de 

R$ 12 bilhões em três parcelas. O governo federal já passou a primeira, mas cada estado faz ou fez as leis de pagamento. 

Pernambuco pagou com juros. Na Bahia, os 80% que vão para os professores com juros daria R$ 2,352 bilhões, sem juros R$ 1,870 bilhão. Foi isso que a Assembleia aprovou ontem, com o detalhe: o resto vai se buscar na justiça depois.

Alguns deputados como Soldado Prisco (UB), Eduardo Salles (PP) e Luiz Augusto (PP) votaram contra, mas a maioria achou melhor garantir logo a primeira fatia. 

Detalhe: a sessão foi virtual e presencial, mas só três deputados governistas foram em pessoa, Fabíola Mansur (PSB), que é presidente da Comissão de Educação, Bira Coroa (PT), que é professor, e Olívia Santana (PCdoB).

Evangélicos na política

Membro da Igreja Adventista do 7º Dia, Elmo Luciano diz que não falou como representante da instituição como foi dito, ao declarar apoio a Lula lá e Jerônimo cá, falou em nome dele próprio.

Segunda última, evangélicos das igrejas Assembleia de Deus, Batista, Adventista do Sétimo Dia, Presbiteriana e Imperial do Reino de Deus se reuniram em Salvador e declararam apoio a Lula e Jerônimo.

Estrada de Iaçu a Itaetê recuperou e já esburacou

Usuários da BA-245, que liga Iaçu e Itaetê (108 km) se dizem encucados. A rodovia até estava em boas condições, cinco meses atrás o governo resolveu recapear e sem que tenha havido qualquer chuva forte, ela está cheia de buracos, virando um perigo, principalmente à noite.

Em Iaçu, o vereador Raimundo da Cerâmica (PDT) diz que a empresa que fez o recapeamento foi convocada para resolver o problema, mas ela apenas tapou buracos, o que de nada adiantou, outros reabriram.

— A calamidade é mera questão de tempo.

Detalhe curioso: no trecho da BA-001, nos 20 km entre Valença e Taperoá, aconteceu a mesma coisa. Lá, a obra foi recusada.

Publicações relacionadas