Com a Palavra: Otavio Marambaia | A TARDE
Atarde > colunistas > De Olho na Saúde

Com a Palavra: Otavio Marambaia

Confira a coluna deste domingo, 16

Publicado domingo, 16 de abril de 2023 às 09:58 h | Autor: Elane Varjão | Jornalista | deolhonasaude@grupoatarde.com.br
Otavio Marambaia, conselheiro e presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb)
Otavio Marambaia, conselheiro e presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb) -

Novo cenário da Medicina

Ao longo dos últimos 20 anos, muitas transformações ocorreram na saúde pública e privada. O médico de hoje é um especialista. A concorrência aumentou em virtude do aumento das escolas médicas. Aqui na Bahia, o mercado de saúde privado passou por mudanças com a chegada de grandes grupos econômicos. Otavio Marambaia, conselheiro e presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb), opina sobre o assunto.

1. Como você descreve o cenário da medicina hoje?

Resposta: Dois aspectos são importantes: o progresso da medicina nos últimos anos, com o incremento dos procedimentos de alta tecnologia, e a formação médica no Brasil, que está complicada devido à abertura indiscriminada de escolas médicas. Sem um corpo docente suficiente para preparar esses médicos, forma-se profissionais de qualidade duvidosa e isso é um risco à população.

2. O médico que faz o atendimento a assistência básica à saúde devia ser um clínico generalista?

Resposta: O médico que faz a atenção básica é um especialista nesse setor. É o médico de saúde da família e comunidade. Esse profissional, após concluir uma residência, torna-se qualificado para resolver grande parte das doenças que acometem a população e que são doenças de pequena e média complexidade. São eles os responsáveis por prevenir doenças que podem causar grandes danos à saúde e ter alto custo para o sistema de saúde pública do Brasil.

3. Como a chegada de grandes grupos econômicos impactou a saúde privada aqui na Bahia?

Resposta: Certamente que isso tem impactado no mercado de trabalho e uma coisa que nos preocupa, como entidade médica, é a cartelização, ou até a proibição, de que médicos possam indistintamente atuar nos diversos hospitais desses grupos que, hoje, controlam a maioria dos hospitais privados na Bahia. Esperamos que isso não sirva de pressão, reduzindo o mercado de trabalho.

4. Com a concorrência em alta, o médico tornou-se um profissional com uma mentalidade mais voltada para o negócio?

Resposta: Não sei se isso é um fato. É real que o médico está recebendo menos devido a oferta de profissionais no mercado de trabalho. Consequentemente, ele tem trabalhado mais, levando muitos dos colegas a uma carga horária despropositada e exaustiva. Não é à toa que, hoje, os médicos ostentam índices de doenças psíquicas, de consumo de drogas lícitas e de suicídios muito maior do que a população em geral.

Você Sabia?

Selo diamante

Na vanguarda do tratamento cardiovascular no Brasil, o Serviço de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista do Hospital Santa Izabel foi recertificado com o selo diamante de qualidade conferido pela Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI), em parceria com o IQG – Health Services Accreditation, sendo um dos mais demandados e eficientes do país. “É o único Centro independente da Bahia para a realização de TAVI para tratamento da degeneração da válvula do coração”, afirma o chefe do Serviço de Hemodinâmica do hospital, José Carlos Brito.

Pacientes com dores crônicas

A Clínica da Dor, unidade do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), é especializada no tratamento de dores crônicas. O médico anestesista Túlio Alves reforça que o procedimento é minimamente invasivo e consiste na aplicação do medicamento no espaço peridural. “Embora não seja a cura definitiva, o tratamento vai proporcionar uma melhor qualidade de vida para a paciente, aliviando as dores e melhorando os movimentos das pernas”. Inicialmente o Serviço está atendendo os pacientes egressos do hospital ou acompanhados nos ambulatórios da unidade.

Cooperativa financeira

Profissionais de saúde que estão em início de carreira ou expandindo negócios, assim como hospitais e clínicas, podem recorrer ao Sicoob Credicom, que é uma cooperativa financeira voltada exclusivamente para a área de Saúde. “Contando com mais de 80 mil associados, entre pessoas físicas e jurídicas, a Credicom oferece condições diferenciadas, quando comparadas aos bancos, para qualquer demanda financeira, financiamento de equipamentos, construção, reforma, capital de giro, seguros patrimoniais e muito mais”, afirma  o representante aqui na Bahia, o médico Augusto Holmer.

Pílulas

Descaso

O cidadão faleceu em casa no mês de dezembro de 2022, e como foi encontrado morto após dois dias necessitou da remoção do corpo pelo Instituto Médico Legal (IML). A partir daí, começou a luta. O corpo só foi removido 8 horas depois e o pior: até hoje, nada do laudo da necropsia com o motivo da causa mortis.

Instalações precárias

As instalações do Pronto Atendimento Nelson Barros, em Lauro de Freitas, vem agradando os moradores do entorno, mas infelizmente não é o que acontece com a UPA, em Itinga, que apresenta indícios degradação. O Ministério Público instaurou procedimento administrativo para apurar irregularidades nas condições do funcionamento da unidade.

Longa espera

O Hospital da Mulher, unidade ligada à Sesab, precisa agilizar procedimentos e cirurgias como histerectomia, laqueadura, plástica vaginal. Pacientes queixam-se do longo tempo de espera para realização destes procedimentos.

Publicações relacionadas