Poema levou bispo a excomungar Saturnino Barbosa em 1916

Reportagem de A TARDE deu um texto curto mas com informações importantes para conhecer o poeta pré-modernista

Publicado sexta-feira, 20 de maio de 2022 às 16:47 h | Atualizado em 20/05/2022, 16:47 | Autor: Cleidiana Ramos
A excomunhão impede o acesso a sacramentos católicos.
A excomunhão impede o acesso a sacramentos católicos. -

Cleidiana Ramos

A TARDE trouxe uma notícia curta, mas repleta de informações em sua edição de 22 de abril de 1916: a excomunhão do poeta Saturnino Barbosa pelo bispo de Campinas, Dom João Nery. O motivo da punição eclesiástica foi  Barbosa ter composto um poema intitulado “A morte de Deus”.

A excomunhão é uma pena rígida, pois afasta alguém da “comunhão católica”.  A punição acarreta  sanções não apenas no campo terreno, mas também do ponto de vista espiritual, pois impede o acesso a sacramentos, como a penitência, unção dos enfermos ou eucaristia.

Embora hoje pouco conhecido, Saturnino Barbosa foi um poeta que desafiou alguns cânones literários como a métrica, além de ser anarquista e ateu. A sua importância pode ser medida pelas duas vezes em que concorreu a uma vaga na Academia Brasileira de Letras (ABL): uma em 1916 para a vaga de José Veríssimo e outra em 1919 para a cadeira que havia sido ocupada por Olavo Bilac.

São mais informações sobre esse poeta, que consegui com a ajuda do pesquisador e jornalista, Gilfrancisco, que compõem a edição dessa semana de A TARDE Memória. Esse projeto multimidia tem inserções em canais do Grupo A TARDE, como o Portal A TARDE, A TARDE FM (às sextas-feiras) e o Jornal A TARDE (aos sábados). O material da coluna é produzido com base no material que forma o acervo do Cedoc A TARDE.         

Publicações relacionadas